30 clássicos da literatura mundial imperdíveis

Os Miseráveis - Livro

Muita gente conhece a história do Cavalo de Tróia, a engenhosa estratégia utilizada pelos gregos pondo fim a Guerra de Tróia, mas poucos sabem que a trama narrada veio do romance clássico de Homero, A Ilíada. Os clássicos da literatura universal conseguem vencer as barreiras do idioma, atravessar fronteiras, superar os séculos, influenciar outras obras e permanecerem no imaginário da sociedade contemporânea. Muitos dos romances mais recentes bebem de fontes seculares de conhecimento, emoção e expressão humana das correntes literárias desde o surgimento da escrita para criar mundos imaginários ou registrar situações e personagens reais. Pelo valor histórico e artístico, pelo impacto causado nos leitores, os romances clássicos vão conquistando os leitores a cada geração. Por isso, podem ser considerados clássicos.

Conheça diversos clássicos da literatura mundial imperdíveis:

  1. A Ilíada e Odisseia – Homero – Sec VIII a.C. – Poemas épicos da Grécia antiga. Ambos os textos são considerados os dois mais antigos romances da história da humanidade que temos acesso hoje e foram criados, ao longo de séculos, via tradição oral, para depois serem reunidos e registrados por escrito. Tarefa atribuída ao autor Homero. Enquanto A Ilíada trata dos últimos anos da Guerra de Troia, Odisseia narra o retorno do herói Odisseu (Ulisses, para os romanos) e seus homens para a terra natal Ítaca. Os conflitos e desafios humanos sofrem a interferência direta dos Deuses do Olimpo, da Mitologia Grega;
  2. A Arte da Guerra – Sun Tzu – Sec IV a.C. – Tratado militar escrito pelo estrategista chinês Tzu, descrevendo todas as estratagemas que deveriam ser adotadas no decorrer de um conflito. O autor idealiza um general cujas qualidades são o segredo, a dissimulação e a surpresa. Indícios sugerem que muitos generais adotaram as lições da obra, ao longo da história. O texto continua tão atual que agora passou a ser adotado no campo da liderança e da administração de empresas;
  3. Édipo Rei – Sófocles – 427 a.C. – Peça de Teatro considerada por Aristóteles, o mais perfeito exemplo de tragédia grega. Integra a Trilogia Tebana, junto com as peças Antígona e Édipo em Colono. Narra todo o drama de uma família marcada pela profecia de que o filho Édipo está predestinado a matar o próprio pai Creonte e casar com a mãe Jocasta. Freud elevou o mito de Édipo a um dos pilares da psicanálise clássica, considerando seu impacto, importância e riqueza narrativa;
  4. As Mil e uma Noites – Xerazade – Sec. 9 d.C – Reúne uma série de histórias de tradição árabe, narrados por Xerazade, esposa do rei Xariar, um rei louco e desconfiado do risco de traição. Ele decidiu casar-se com uma esposa diferente a cada noite para matá-las no dia seguinte. Xerazade, a filha do Grão Vizir, se oferece para casar-se com o rei louco. Na noite seguinte, a noiva conta uma longa história que precisa ter continuidade no dia seguinte. E no dia posterior. Assim, passa o tempo, sem haver mais mortes, por conta das inúmeras histórias de Xerazade ao Rei Xariar, mas as histórias não podem acabar. Personagens fascinantes estão presentes no romance como Aladdin, Ali Babá ou Simbad;
  5. A Divina Comédia – Dante Alighieri – 1321 – Poema dividido em três partes: Inferno, Purgatório e Paraíso. A obra é centrada em três personagens: O próprio poeta Dante, que personifica o homem; Beatriz, que personifica a fé; e Virgílio, que personifica a razão. Na trama, Dante parte numa peregrinação para libertar a alma da mulher amada, Beatriz. No caminho, conhece Virgílio, autor do clássico romance Eneida, que guia o peregrino em sua viagem pelos círculos dos mundos do além;
  6. O Príncipe – Nicolau Maquiavel – 1512 – Tratado político em forma de conselhos, sugestões e ponderações que influenciou governantes, políticos e autoridades, ao longo dos séculos e ajudou a fundamentar o entendimento de Estado. O pensamento do autor influencia até hoje. A adoção das práticas e da filosofia proposta pelo autor, passa a ser entendida como atitude maquiavélica;
  7. Romeu e Julieta – William Shakespeare – 1595 – Tragédia inglesa, inspirada na clássica peça Antígona de Sófocles. Na Verona renascentista, em meio aos conflitos entre as famílias Montecchios e Capuletos, os jovens Julieta Capuleto e Romeu Montecchio se apaixonam e vivem um amor proibido, intensificando os conflitos, levando a consequências trágicas;
  8. Hamlet – William Shakespeare – 1600 – Tragédia inglesa focada no Príncipe da Dinamarca, Hamlet que recebe a visita do fantasma de seu pai. O rei foi assassinado pelo próprio irmão Cláudio que se casa com a Rainha para assumir o trono. Hamlet mergulha na dúvida sobre como deve vingar o assassinato do pai;
  9. Dom Quixote – Miguel de Cervantes – 1605 – Romance satírico que serve de paródia aos romances de cavalaria. De tanto ler os romances clássicos de cavalaria, Dom Quixote decide vagar pelo mundo como se fosse um Cavaleiro Andante, com seu fiel escudeiro Sancho Pança, mas o decadente cavaleiro perdeu o juízo e vive aventuras e combates na sua imaginação bem diferentes da realidade percebida pelo escudeiro, nas terras de Aragão, La Mancha e Catalunha;
  10. A Comédia Humana – Honoré de Balzac – 1842 – Um conjunto de romances, novelas e contos escritos por Balzac, sendo, ao todo, 95 obras que retratam as bases da sociedade burguesa, nas suas diversas profissões e atividades. O título de sua obra serve de contraponto a Divina Comédia, de Dante;
  11. Os Três Mosqueteiros – Alexandre Dumas (pai) – 1844 – Romance histórico. O jovem D’Artagnan viaja a Paris com uma recomendação para integrar a guarda liderada pelo Monsieur de Tréville. Impetuoso, o jovem desafia os inseparáveis companheiros Athos, Porthos e Aramis, conhecidos como Os Três Mosqueteiros e considerados os melhores espadachins da guarda real. Eles se tornam aliados e vivem grandes aventuras a serviço do Rei da França, Luís XIII, e da rainha, Ana de Áustria, contra as artimanhas do Cardeal Richelieu, seus guardas e comparsas. História levemente inspirada em fatos reais;
  12. O Conde de Monte Cristo – Alexandre Dumas (pai) – 1844 – Romance histórico. O jovem marinheiro é preso injustamente e com a ajuda de um prisioneiro Clérigo, o jovem foge e encontra uma fortuna escondida. Rico e respeitado, ele retorna a cidade disposto a conduzir um intrincado plano de vingança. História levemente inspirada em fatos reais;
  13. Um Conto de Duas Cidades – Charles Dickens – 1859 – Romance histórico. Surgem os primeiros movimentos que culminam, depois, na Revolução Francesa. Tramas paralelas entre personagens de Paris e de Londres começam a se interligar para retratar os abusos e injustiças cometidos pela nobreza e os sentimentos do povo que preparam uma reação;
  14. Os Miseráveis – Victor Hugo – 1862 – Drama social. O condenado Jean Valjean é libertado da prisão após o cumprimento de sua pena. Em peregrinação, ele comete um crime numa Igreja, mas o Padre o ajuda de forma inesperada. Valjean tenta mudar de vida e começa a prosperar com uma fábrica. O sucesso permite que ele assuma como Prefeito da Cidade, mas o passado o assombra na figura do implacável Inspetor Javert. Para tentar ajudar a jovem Fantine, ele adota a filha dela, Cosette e foge para Paris. Descrente da nova conduta de Valjean, o Inspetor não desiste de perseguir para capturar o ex-condenado;
  15. Crime e Castigo – Fiódor Dostoiévski – 1866 – O jovem estudante Rodion Românovitch Raskólnikov, que vem da extrema pobreza, comete um assassinato e vive atormentado pela culpa. A polícia investiga o crime e prende um inocente, mas Rodion não aceita a situação e precisa tomar uma atitude. Um dos maiores romances da literatura russa;
  16. Guerra e Paz – Liev Tolstói – 1869 – Um dos romances mais volumosos entre os clássicos da literatura universal, com mais de 500 personagens e um dos maiores romances da literatura russa. O livro narra a história da Rússia na época das batalhas de Napoleão Bonaparte, através de cinco famílias da aristocracia russa. O contexto histórico ganha maior dimensão e importância do que a vida dos indivíduos;
  17. Vinte Mil Léguas Submarinas – Júlio Verne – 1870 – O submarino Náutilos, construído pelo Capitão Nemo, viagem à margem da sociedade, sem relações com a humanidade. Em sua jornada, o Capitão decide atacar diversas embarcações, espalhando o medo pelo mundo porque todos acreditam que o responsável pelos ataques se trata de um monstro marinho. A equipe do Professor Aronnax segue numa expedição em busca do tal monstro. Aronnax e alguns de seus tripulantes caem no mar e são recolhidos pelo submarino para a surpresa dos sobreviventes;
  18. Um Estudo em Vermelho – Arthur Conan Doyle – 1887 – Romance policial que marca a estréia do famoso detetive Sherlock Holmes e seu companheiro Dr. Watson. Diante de um estranho enigma, a policia pede ajuda de Holmes para solucionar o caso. O imortal detetive precisa utilizar sua arte da dedução para identificar um perigoso assassino solto na sociedade;
  19. O Retrato de Dorian Gray – Oscar Wilde – 1890 – Romance acusado de ofender a moralidade pública, na época de seu lançamento. O artista Basil Hallward, impressionado com a beleza de Dorian Gray, decide fazer um quadro a óleo do jovem. Depois de conhecer o Lorde Henry Wotton e seu estilo de vida, Dorian expressa o desejo de vender a própria alma para que o retrato envelheça em seu lugar, enquanto ele permanece eternamente jovem, para viver uma vida dedicada a todos os seus vícios;
  20. Cyrano de Bergerac – Edmond Rostand – 1897 – Peça poética. O herói trágico Cyrano é apaixonado por sua prima Madeleine Roxane, mas sente-se inferiorizado por se achar feio e com um nariz avantajado. Apesar de dominar as palavras, Cyrano não tem coragem de se declarar para sua amada. Ele descobre que o jovem Cristiano também é apaixonado por Roxane, mas apesar de ser muito bonito, é tímido e fraco de conversa. Cyrano resolve ajudar seu rival a conquistar a bela com cartas e poesias. Entretanto, os dois são mandados para a guerra e Cyrano continua a escrever cartas para Roxane, fingindo ser do Cristiano. História levemente inspirada em fatos reais;
  21. Drácula – Bram Stoker – 1897 – Romance gótico, narrado através de uma série de cartas escritas pelos personagens envolvidos. O jovem corretor Jonathan Harker visita um castelo na zona rural da Transilvânia, sendo recebido pelo Conde Drácula que adquire diversas propriedades em Londres. Aos poucos, Harker começa a perceber coisas estranhas envolvendo seu anfitrião. Drácula, então, decide viajar para a Inglaterra, deixando um rastro de morte e destruição por onde passa. O poderoso vampiro precisa ser detido e os jovens ingleses contam com a ajuda do mestre do ocultismo, o Dr. Abraham Van Helsing;
  22. Ulisses – James Joyce – 1922 – Uma releitura de Odisseia de Homero, condensando o tempo de viagem dos protagonistas Stephen Dedalus e Leopold Bloom para dois dias. Um texto complexo, rebuscado e considerado de leitura difícil, apresentando grandes problemas para tradução;
  23. O Processo – Franz Kafka – 1925 – O cidadão Josef K. acorda certa manhã e vai preso, arrastado por um longo e injusto processo, enfrentando pesada burocracia, sem nem saber as acusações contra ele, como se ele acordasse de um pesadelo que nunca chega ao fim;
  24. Admirável Mundo Novo – Aldous Huxley – 1932 – Um romance distópico. No futuro, a busca por uma sociedade perfeita faz com que as pessoas sejam programadas biologicamente antes de nascer e condicionadas psicologicamente para viver seguindo as leis e regras sociais, focados no trabalho e na produção, respeitando as diferentes castas, mas o personagem Bernard Marx vive insatisfeito por se considerar diferente dos integrantes de sua casta. Marx encontra um reduto de selvagens que vivem banidos da sociedade e preservam seus costumes do passado, aceitando as relações baseadas no amor;
  25. Vidas Secas – Graciliano Ramos – 1938 – A vida e as dificuldades de uma família de retirantes que tenta abandonar o Nordeste Brasileiro, numa vida de privações e falta de perspectiva. Eles seguem para a região Sudeste em busca de meios para a sobrevivência;
  26. O Pequeno Príncipe – Antoine de Saint-Exupéry – 1943 – O livro infantil de maior sucesso e também o livro francês de maior sucesso de todos os tempos. O romance está entre as obras mais traduzidas do planeta, para mais de 220 idiomas. Um aviador cai no deserto e conhece o Príncipe, uma criança que vivia sozinha em um planeta errante, antes de viajar para conhecer outros mundos. Uma grande metáfora da passagem da infância para a vida adulta;
  27. O Diário de Anne Frank – Anne Frank – 1945 – Diário real da jovem Anne Frank que vive escondida com sua família no sótão de um estabelecimento comercial ao longo de dois anos, com a ajuda dos proprietários, para fugir da polícia da Gestapo, durante o controle nazista da Holanda, em meio a Segunda Guerra Mundial;
  28. 1984 – George Orwell – 1948 – Um dos maiores romances distópicos que mostram um governo controlador que utiliza da tecnologia para controlar a vida dos cidadãos. O livro popularizou o termo Big Brother (Grande Irmão) como um instrumento tecnológico para o governo vigiar a vida dos indivíduos. O termo foi deturpado, quando foi utilizado como um programa em que os habitantes de uma casa isolada são vigiados pelo público. Na trama do livro, Winston Smith é o funcionário estatal incumbido de falsificar documentos históricos e romances para mostrar que o governo sempre age correto. Insatisfeito com a própria vida, Winston decide iniciar uma rebelião contra o sistema;
  29. O Senhor dos Anéis – J. R. R. Tolkien – 1955 – Trilogia de fantasia e sequência de O Hobbit. Influenciado pela Segunda Grande Guerra, Tolkien retorna ao universo da Terra Média para mostrar um conflito de proporções globais entre diversas raças contra os Orcs. Seu líder, o malígno Sauron, tenta dominar a todos através do Um Anel que encontra-se na vila dos Hobbits. O jovem Frodo Bolseiro recebe o Um Anel de seu tio Bilbo e parte numa jornada em direção as terras inimigas para tentar destruir o maléfico e poderoso anel, antes que as forças de Sauron consiga subjugar todas as raças;
  30. Cem Anos de Solidão – Gabriel Garcia Marques – 1967 – Autor vencedor do Prêmio Nobel de Literatura em 1982. Sua obra foi considerada a segunda mais importante na língua espanhola, perdendo apenas para Dom Quixote. Romance de realismo mágico. Na aldeia fictícia da América Latina, Macondo, as várias gerações da família Buendía vivem em torno da centenária Úrsula. Eles encontram os misteriosos pergaminhos de Melquíades, o Cigano, que foi amigo de José Arcadio Buendía e precisam investigar os documentos para descobrir a verdade sobre a família.
Anúncios

Publicado em 14 de janeiro de 2016, em Caracteres e marcado como , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Don Silvio

Comentando

Priscila.T.Therese Official

"we are lifelong learners " Nós somos eternos aprendizes "

enjuadinha

Momentos da vida

Livros do Coração

Resenhas de livros, filmes, teatro e cultura em geral

felicisses.wordpress.com/

Compartilhando coisas legais!

Entre nos Mundos

Compartilhando as minhas visitas em outros mundos.

Just One More

Coffee & Books

Uma borboleta leitora

Como borboletas, voamos pelas páginas dos livros...

Liberte-se.

Meu nome é Hellen, tenho 18 anos e aqui escrevo sobre coisas que me interessam.

Literatura Doccar

Blog Literário

Emilly Vass

Blog Literário

Auê Cultural

A casa de todos, de todas as tribos

Vendas Digitais

Curta, compartilhe e deixe seu e-mail

Contos Noturnos

Contos da amante noturna

Ste

Aqui você vai encontrar sobre um pouco de tudo, principalmente livros. Conte com nossa sincera opinião sobre os livros, as séries e os filmes resenhados e citados.

%d blogueiros gostam disto: