Terry Gilliam insiste outra vez em seu projeto de filme adaptado de Don Quixote

terry

Vez por outra, o projeto volta do limbo, por insistência do diretor britânico Terry Gillian que não desiste. Desde 1998, por sete vezes, o diretor oriundo do famoso grupo humorístico Monty Python tenta realizar o filme The Man Who Killed Don Quixote (O Homem que Matou Don Quixote), sem sucesso. Seria uma adaptação do clássico da literatura universal Don Quixote de la Mancha (El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de la Mancha, ), do escritor espanhol Miguel de Cervantes, publicado entre 1605 a 1615. As tentativas do diretor envolveram o astro Johnny Depp, Jean Rochefort, Robert Duvall, Ewan McGregor, John Hurt. Em várias ocasiões, a produção teve início e foi cancelada. Foram muitos inícios e cancelamentos. As tentativas frustradas do diretor foram, inclusive, tema do documentário aclamado e premiado, Perdido em La Mancha (Lost in La Mancha, 2002), de Keith Fulton, Louis Pepe. Mas parece que agora vai. O produtor português Paulo Branco (Cosmópolis) reuniu os recursos necessários para realizar o filme, que trará John Hurt e Jack O’Connell nos papéis principais. As filmagens terão início em setembro, em Portugal e na Espanha, com lançamento previsto para 2017.

Segundo rumores, o filme envolveria viagens no tempo e as filmagens realizadas nos anos passados, com outros atores, podem ser incluídas na versão final do novo filme. A produção teria filmagens de sobra por conta de seus 18 anos de insistência. A tentativa frustrada anterior tinha John Hurt no elenco, mas o ator foi diagnosticado com câncer no pâncreas. Agora que Hurt recuperou-se da doença com tratamentos, o ator pode retornar ao projeto de Don Quixote. Gillian teve sua estréia na direção com o hilário Monty Python em Busca do Cálice Sagrado (1975). Suas obras são, no mínimo, atípicas. Entre os filmes mais conhecidos estão Os Bandidos do Tempo (1981), Brazil – O Filme (1985), As Aventuras do Barão de Münchausen (1988), O Pescador de Ilusões (1991), Os 12 Macacos (1995), O Mundo Imaginário do Doutor Parnassus (2009), O Teorema Zero (2013). A autora J. K. Rowling, grande fã de Gillian, indicou o diretor como sua primeira opção de adaptar para as telas, Harry Potter e a Pedra Filosofal. A escolha de Chris Columbus para dirigir o filme de 2001 foi pressão do Estúdio Warner Bros. Como exemplo de insistência, otimismo e perseverança, o diretor Terry Gillian pode finalmente realizar seu projeto de longa data.

Anúncios

Publicado em 5 de abril de 2016, em Cine Express e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Vendas Digitais

Curta, compartilhe e deixe seu e-mail

Contos Noturnos

Contos da amante noturna

Ste Sincero

Aqui você vai encontrar sobre um pouco de tudo, principalmente livros. Conte com nossa sincera opinião sobre os livros, as séries e os filmes resenhados e citados.

Pão de Canela e Prosa

Onde as palavras têm sabor

marisbookshop

pensamentos de uma jovem.

Cara de Cotia

Meio divertida, por vezes filosófica, sempre confusa!

Meuus Fatos

literatura, resenhas , textos escritos por mim é indicações de livros.

Reclusidades Diárias

Esses são os meus olhos e com eles eu vejo o mundo. Quer ver comigo?

Eu, nós dois e todo mundo

Sobre amor e falta dele, otimismo, utopia e desconforto. Uma caricatura de pós-moderno em um mundo todo louco.

TraduQ

ideias e escritos traduzindo-nos

Desajustado

As (des)vantagens de ser!

%d blogueiros gostam disto: