Netflix repudia preconceito na produção de sua primeira série brasileira exclusiva

3 Por Cento - Série nacional no Netflix

3 Por Cento – Série nacional no Netflix

O que começou como uma grande celebração pela oportunidade do lançamento da primeira série de TV brasileira exclusiva do Netflix, a ficção científica 3%, atravessou um momento constrangedor com a divulgação nas redes sociais e na mídia de um email difundido pela agência +Add Casting, contendo uma mensagem claramente racista. O serviço de streaming Netflix, em sua ousada proposta de buscar novos e instigantes conteúdos, contratou a empresa produtora brasileira Boutique Filmes, para a produção da série nacional 3%, com sete episódios, prevista para estrear no final de 2016. Os produtores, por sua vez, contrataram a agência +Add Casting para a seleção de atores e atrizes para o elenco que acompanharão os protagonistas João Miguel e Bianca Comparato. A agência encaminhou um email para divulgar os testes de elenco a causou grande polemica com o texto difundido. No trecho do email, eles explicaram: “Precisamos de um ator jovem, na faixa dos 20/25 anos, muito bonito. A direção gostaria que ele fosse negro, então o ideal seria ter um ator negro e muito bonito, mas conscientes do grau de dificuldade, faremos teste também com os bons atores, lindos, que não sejam negros”.

A mensagem foi difundida através das redes sociais, com diversas manifestações contrárias a agência e a devida acusação de racismo, chamando atenção da mídia. Ao tomar conhecimento, o Netflix logo reagiu: “O email sobre o teste de elenco de ‘3%’ foi enviado sem o conhecimento ou aprovação da Netflix, e contradiz tudo em que acreditamos. Junto à Boutique Filmes, estamos trabalhando para tomar as devidas providências, e lamentamos o que aconteceu”. A produtora manifestou-se em seguida: “Como produtora responsável pela série ‘3%’, estamos chocados com o email enviado pela empresa terceirizada produtora de casting. A linguagem usada no email é inaceitável e nunca foi aprovada por nós. O texto não representa nossa visão como empresa. Também não representa o espírito da série ou a orientação de casting, que busca retratar a diversidade da população brasileira”. Diante da reação negativa generalizada, a agência +Add Casting tentou se retratar: “A +Add Casting gostaria de pedir desculpas pelo email que foi enviado convocando atores para o teste de elenco e cujo teor foi equivocadamente mal interpretado como racista e que acabou circulando nas redes sociais. Lamentamos sinceramente este email. Esta mensagem não condiz com a nossa conduta profissional e está longe das intenções que gostaríamos de passar. A Boutique Filmes e todos os profissionais envolvidos neste projeto, não tiveram conhecimento do conteúdo deste email, antes da sua divulgação e portanto, não tem nenhum envolvimento com a sua produção”.

Entretanto, o estrago estava feito. A equipe da agência tentou se justificar: “A dificuldade a que nos referíamos estava relacionada à quantidade de pessoas com o perfil a ser selecionado. Daí a necessidade, inclusive de se buscar pessoas em diversos locais e a intenção do e-mail, mal interpretado, em trazer um número maior de pessoas negras à seleção de elenco”. Como consequência do email, a produtora rompeu a parceria com a +Add Casting. Thiago Mello, sócio da Boutique e produtor executivo da nova série, revelou que não há mais clima para trabalhar com a equipe da agência. “Esse email vai contra o projeto, que busca retratar a diversidade do Brasil”. Mello garantiu ainda que a parceria entre as empresas não voltará a ocorrer, nem mesmo em futuros projetos. A verdade é que um único email foi capaz de comprometer a imagem da agência junto ao público, as empresas e os parceiros, de uma maneira sem precedentes no país. A situação expõe o racismo ainda presente em nossa sociedade, mas também a noção de que não há mais espaço para ver manifestações racistas serem difundidas normalmente em nossas redes sociais, sem a devida reação por parte do público. Ironicamente, o manifesto equivocado vem de um projeto com a intenção de ser um grito contra o racismo. Que 3% seja lançada logo, Netflix.

Saiba mais sobre 3%:

Ficção Científica 3 Por Cento – Primeira série brasileira no Netflix

Anúncios

Publicado em 11 de novembro de 2015, em Streaming e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Suki na Ongaku

Blog com letras de minhas músicas japonesas preferidas

Roberto Luiz Ribeiro

Poesia alternativa-marginal-independente e gratuita

A Taverna

Histórias fantásticas e Dicas de Escrita!

Don Silvio

Comentando

Priscila.T.Therese Official

"we are lifelong learners " Nós somos eternos aprendizes "

enjuadinha

Momentos da vida

Livros do Coração

Resenhas de livros, filmes, teatro e cultura em geral

felicisses.wordpress.com/

Compartilhando coisas legais!

Entre nos Mundos

Compartilhando as minhas visitas em outros mundos.

Just One More

Café, Livros, Estudos e Mundo

Uma borboleta leitora

Como borboletas, voamos pelas páginas dos livros...

Liberte-se.

Meu nome é Hellen, tenho 18 anos e aqui escrevo sobre coisas que me interessam.

Emilly Vass

Blog Literário

Literatura Doccar

Blog Literário

Auê Cultural

A casa de todos, de todas as tribos

Vendas Digitais

Curta, compartilhe e deixe seu e-mail

Contos Noturnos

Contos da amante noturna

%d blogueiros gostam disto: