Veja nossa dica de autores de destaque para o dia do escritor

Writer

Apesar da multiplicação das mídias, dos meios e formatos de comunicação, a literatura continua mostrando sua força e longevidade, influenciando as demais artes e formas de entretenimento. No dia do escritor, a Maracutaia Livros preparou uma seleção de autores que conquistaram a notoriedade nos últimos anos ou permanecem relevantes ao longo de décadas.

Alan Moore – Mestre dos quadrinhos. Escritor britânico que ganhou notoriedade com seu estilo rebelde e suas histórias revolucionárias para o meio. Ajudou a elevar o status dos quadrinhos como arte. Escreveu os quadrinhos V de Vingança (1982-85), Miracleman (1982-84), recriou com maestria o personagem Monstro do Pântano (1984-87) e sacudiu o mercado com Watchmen (1986-87). Fez ainda Batman – A Piada Mortal (88), Do Inferno (1989-96), A Liga Extraordinária (99), Promethea (1999-05), entre tantas obras importantes. Venceu nove vezes como Melhor Roteirista, o Prêmio Eisner, considerado o Oscar dos quadrinhos. Muitos de seus trabalhos foram adaptados para o cinema e repudiados pelo próprio autor;

Carolina Munhoz – Jornalista e escritora paulista. Apaixonada pela série Harry Potter, logo foi eleita a Melhor Escritora Jovem pelo Prêmio Jovem Brasileiro e seu último livro foi eleito o Melhor do Ano pela Revista Atrevida. Escreveu os livros A Fada (05), O Inverno das Fadas (12) e Feérica (13) no gênero literatura fantástica conquistando o público infanto juvenil e tornando-se Best Seller nacional. Escreveu ainda O Reino das Vozes Que Não se Calam (14) em parceria com a atriz Sophia Abrahão. Conquistou o Prêmio Jovem Brasileiro de 2011, Destaques Literários de 2012, Saga Awards 2014, Geração Z Awards 2014, Atrevida Awards 2014, Oscar Literário 2015 e Vox Populi Shorty Awards. Atualmente, é casada com o igualmente popular escritor Raphael Draccon. O próximo livro dela, Por um Toque de Ouro (15), é aguardado com expectativa pelo público;

Chris Claremont – Mestre dos quadrinhos. Escritor britânico, garoto prodígio da Editora Marvel quando assumiu em 1976, os roteiros de uma revista que havia sido cancelada antes, os X-Men. Claremont elevou o grupo mutante ao estrelato e estabeleceu as bases das histórias, depois adaptadas para o cinema. Ele passou 16 anos ininterruptos escrevendo as edições mensais dos X-Men, além de especiais. Enquanto, ao mesmo tempo, escrevia diversos outros títulos mensais da editora como os grupos derivados dos X-Men, Novos Mutantes, X-Factor, Excalibur, X-Force, Wolverine, etc, etc. Escreveu ainda edições de Vingadores, Homem Aranha, Mulher Aranha, Marvel TeamUp e Ms Marvel. Entre as melhores histórias dos X-Men, ele escreveu a Saga da Fenix Negra (80), Dias de um Futuro Esquecido (1981), Deus Ama e o Homem Mata (82), Guerras Asgardianas (85) e tantas outras. Escreveu ainda uma série de livros de ficção científica, First Flight (87), Grounded! (91), e Sundowner (94). Em 1991, quando a Editora Marvel lançou a revista X-Men nº1, com roteiro de Claremont e desenhos de Jim Lee, foi um sucesso estrondoso. O exemplar permanece até hoje no Livro dos Recordes como a revista em quadrinhos mais vendida de todos os tempos, alcançando a marca de 8 milhões de cópias, apenas nos Estados Unidos, sem falar nas republicações e traduções para outros países. Suas histórias foram adaptadas para o cinema, através dos filmes dos X-Men;

Diana Gabaldon – Zoóloga e escritora norte-americana, conhecida pela série de livros Outlander – A Viajante do Tempo (1991) que atualmente conta com oito volumes e foi adaptada como série de TV pelo canal pago Starz. Ela escreveu ainda uma série de livros focada no personagem Lord John, ligado a série Outlander e diversos contos. A inspiração para Outlander surgiu quando a autora assistiu um episódio da série britânica de ficção científica, Doctor Who, chamado The War Games (Os Jogos de Guerra). Na trama, numa das viagem do tempo do Doutor, ele foi para 1745 e conheceu um jovem escocês chamado Jamie McCrimmon. O personagem e o cenário serviu de inspiração para Gabaldon escrever o primeiro livro da série Outlander, lançado em 1991. A autora ganhou diversos prêmios com o romance. Entre eles, o Romance Writers of America de 1991;

Eduardo Spohr – Jornalista, blogueiro e escritor carioca de Ficção Científica e Fantasia. Seu primeiro romance foi publicado em 2007, inicialmente no site Jovem Nerd, A Batalha do Apocalipse: Da Queda dos Anjos ao Crepúsculo do Mundo. O livro vendeu mais de 4 mil cópias sem o apoio de qualquer editora tradicional. Em 2010, a Editora Record publicou o livro com distribuição para as livrarias e expandiu o sucesso da obra. Estabelecendo um universo próprio com base em diversas religiões, a trama mostra um ser divino que se ergue contra seus superiores e aqueles que escondem a verdadeira mensagem de Deus para seus filhos. Expulso dos céus, vaga pela Terra, vivendo as mais diferentes eras e acompanhando os principais acontecimentos da história humana. Seus livros posteriores seguem as mesmas temáticas. Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida (11), Protocolo Bluehand: Alienígenas (11) e Filhos do Éden: Anjos da Morte (13). Spohr revela entre suas influências, os escritores como Robert E. Howard, J. R. R. Tolkien, Neil Gaiman, Alan Moore, Frank Miller, Garth Ennis, Stephen King e H.P. Lovecraft, além de filmes como Highlander e Matrix;

Frank Miller – Mestre dos quadrinhos. Escritor e desenhista norte americano. Suas obras ganharam fama pela densidade das tramas e a dimensão complexa de seus personagens. Nas mãos de Miller, personagens tradicionais nos quadrinhos como Batman e Demolidor foram redimensionados e ganharam leituras mais sombrias, ajudando a redefinir os quadrinhos de super heróis desde então. Junto com Alan Moore e outros grandes artistas, Miller ajudou a elevar o status dos quadrinhos como arte em trabalhos como Eu, Wolverine (82), Ronin (83), Cavaleiro das Trevas (86), A Queda de Murdock (86), Elektra Assassina (1986-87), Batman – Ano Um (87), 300 (98), Sin City (93), Homem Sem Medo (93), entre outras obras marcantes. Venceu sete prêmios Eisner Awards. A maioria dos grandes trabalhos de Miller foi adaptado para o cinema ou virou série de TV;

George RR Martin – Mestre da fantasia norte americano. Um dos escritores de maior evidência da atualidade por conta do sucesso de sua série de livros, As Crônicas de Gelo e Fogo, atualmente com cinco títulos publicados, que inspirou a super produção da HBO, a famosa série Game of Thrones. A obra foi considerada o novo Senhor dos Anéis. Por décadas, o autor escreveu roteiros e produziu para a televisão, mas apenas com o sucesso da série, ele viu sua carreira ganhar um novo impulso. A saga é um sucesso mundial desde o primeiro livro, A Guerra dos Tronos (96), entrando nas listas de mais vendidos em diversos países, inclusive no Brasil. Martin pretende lançar o sexto livro, o aguardado Ventos do Inverno, antes do inicio da sexta temporada da série, no primeiro trimestre de 2016. E depois, ele ainda tem pela frente a tarefa de criar o sétimo livro, Um Sonho de Primavera, para finalizar suas Crônicas de Gelo e Fogo. Martin foi editor da série de livros Wild Cards, escreveu também O Dragão de Gelo, Morte da Luz, A Canção de Estrelas e Sombras, A Fuga do Caçador. Ele venceu seis Hugo Awards e dois prêmios Nebula, entre outros. Só existe um recado dos fãs para o autor. O inverno está chegando;

Joannne K Rowling – Reinventora da fantasia infantil com a mega saga de sete livros da série Harry Potter, todos adaptados para o cinema. Seu primeiro livro, Harry Potter e a Pedra Filosofal foi lançado em 1997. A escritora britânica foi responsável por formar toda uma geração de novos leitores e resgatar o interesse dos jovens pela leitura, mesmo com o surgimento de novos múltiplos meios de comunicação e entretenimento como a Internet, os Jogos Eletrônicos e as Redes Sociais. Abriu espaço para novos escritores lançarem seus romances de fantasia e ficção científica para o público adolescente e infantil. Harry Potter tornou possível o sucesso de outras narrativas de fantasia como Jogos Vorazes, Crepúsculo e Percy Jackson. Sob o pseudônimo de Robert Galbraith, Rowling publicou os livros Morte Súbita e O Chamado do Cuco com temática adulta. A escolha do pseudônimo foi para despistar o interesse do público infantil nas novas obras que seriam inadequadas para a leitura dos jovens fãs de Harry Potter. Entre os tantos prêmios e homenagens recebidas pela autora, em 2000, Rowling foi laureada pela Rainha da Elizabeth, da Inglaterra, como Lady J. K. Rowling. Em 2009, recebeu de Nicolas Sarkozy, presidente da França, a insígnia de Cavaleiro da Ordem da Legião de Honra;

John Green – Escritor norte americano formado em inglês e estudos religiosos. Tinha como meta torna-se pastor evangélico, mas passou alguns meses trabalhando num hospital pediátrico para crianças com doenças crônicas, situação que o inspirou a escrever. Seu primeiro romance foi Quem é Você, Alaska? de 05, seguido por O Teorema de Katerine (06), Deixe a Neve Cair (08), Cidades de Papel (08), Will e Will, um Nome, um Destino (10), A Culpa é das Estrelas (12).  Todos foram grandes sucessos entre leitores adolescentes. John Green e o irmão começaram a produzir um Vlog em 2007, em um canal do You Tube que gerou grande audiência e contribuiu para o sucesso do autor. Alguns de seus livros foram adaptados com sucesso para o cinema;

José Eduardo Agualusa – Escritor angolano e agrônomo formado em Lisboa. Colaborou com o jornal português Público, o jornal Brasileiro O Globo, a revista portuguesa LER, o jornal angolano A Capital e o portal Rede Angola. Escreveu diversas peças de teatro, fundou a editora Língua Geral para autores de língua portuguesa. Publicou os livros A Conjura (89), A Feira dos Assombrados (92), Estação das Chuvas (96), O Ano em que Zumbi Tomou o Rio (02), O Vendedor de Passados (04), Barroco Tropical (09), Teoria Geral do Esquecimento (12) e A Vida no Céu (14), de Ficção Científica, entre tantos títulos de diversos gêneros. Em três ocasiões, conseguiu financiamento através de Bolsas de Criação Literária. Seu primeiro romance A Conjura recebeu o Prêmio de Revelação Sonangol. Agualusa recebeu diversos prêmios, escreveu o roteiro do telefilme O Mergulho (2005) e teve sua obra adaptada para o cinema no filme O Vendedor de Passados (15), com Alinne Moraes e Lázaro Ramos;

José Saramago – Escritor português. Aos 25 anos, publicou seu primeiro romance Terra do Pecado (47). Por um tempo, publica livros de poesias e crônicas. Trabalha como jornalista no Diário de Notícias e, depois, no Diário de Lisboa até ser demitido durante um momento histórico em Portugal, a Revolução dos Cravos, em 75. Saramago passa a se dedicar exclusivamente a literatura e publica livros como Manual de Pintura e Caligrafia (77), Levantado do Chão (80), A Jangada de Pedra (86), o polêmico O Evangelho Segundo Jesus Cristo (91), em que retrata um Jesus Cristo revoltado com seu destino. Seus últimos romances questionam a sociedade em seus aspectos mais básicos, sem destacar local, nem época na trama. Ensaio Sobre a Cegueira (95), Todos os Nomes (97), A Caverna (01), O Homem Duplicado (02), Ensaio sobre a Lucidez (04) e As Intermitências da Morte (05). Saramago venceu o Prêmio Camões (95) e foi o primeiro autor em língua portuguesa a vencer o Prêmio Nobel de Literatura em 1998. Antes de falecer em 2010, Saramago teve a oportunidade de assistir emocionado a versão cinematográfica de Ensaio Sobre a Cegueira (08), ao lado do diretor brasileiro Fernando Meirelles;

Jostein Gaarden – Escritor e professor de filosofia norueguês. Une suas duas paixões num único livro, sua mais aclamada obra, O Mundo de Sofia (91). Mais do que um romance, um passeio pela evolução do pensamento filosófico ocidental, embalado numa trama intrigante, envolvente e impactante. Seu primeiro romance foi O Pássaro Raro (86). A partir daí, o autor escreveu diversos livros como O Dia do Curinga (90), Através do Espelho (93), Vita Brevis (96), Maya (99), O Vendedor de Histórias (01). Vencedor de diversos prêmios, Gaarden foi ordenado na Ordem Real Noroeguesa e criou o Prêmio Sophie, dedicado aos indivíduos ou fundações que lutam pela causa ambiental;

Marjane Satrapi – Autora de quadrinhos iraniana que vive na França. Transformou sua autobiografia numa história em quadrinhos impactante, Persépolis (2000-03) que a tornou conhecida internacionalmente. Sua obra foi preparada com o apoio de seu mentor, o artista francês David Beauchard. A série em quadrinhos foi adaptado para as telas como animação. Persépolis (07) foi lançado no Festival de Cannes e, depois, foi indicado para o Oscar de Melhor Animação. Satrapi foi a primeira mulher indicada ao Oscar na categoria. Ela dirigiu ao lado do francês Vincent Paronnaud. O filme ainda venceu o César Awards 2008 como Melhor Filme de Estreante, entre outros prêmios. Nos quadrinhos, ela ainda produziu Bordados (03) e Frango com Ameixas (06). Satrapi continuou a carreira de diretora de cinema com a adaptação de Frango Com Ameixas (11) e A Gangue dos Jotas (12), com base em seus próprios roteiros e a comédia de humor negro, Vozes (14);

Mia Couto – Biólogo, jornalista e escritor moçambicano. Desde adolescente teve seus poemas publicados no jornal Notícias da Beira, de sua cidade natal. Trabalhou na Tribuna até à destruição das instalações em 1975, por colonos contra a independência de seu pais. Foi diretor da Agência de Informação de Moçambique (AIM). Depois trabalhou como diretor da revista Tempo até 1981 e continuou no jornal Notícias até 1985. Desde 1983, publicou livros de poesias, contos e crônicas. Seu primeiro romance foi Terra Sonâmbula (92), pelo qual venceu o Prêmio Nacional de Ficção da Associação dos Escritores Moçambicanos em 1995. A obra foi considerada um dos dez melhores livros africanos do século XX por um júri da Feira do Livro do Zimbabué. Em 2013 foi homenageado com o Prêmio Camões, entregue pelo presidente de Portugal, Cavaco Silva, e do Brasil, Dilma Rousseff. Mia escreveu também Mar Me Quer (98), Um Rio Chamado Tempo, uma Casa Chamada Terra (02), Antes de Nascer o Mundo (09) e A Confissão da Leoa (12);

Michael Crichton – Escritor, produtor e diretor de cinema norte americano. Escreveu diversos romances conhecidos por terem sido adaptados para o cinema e a tv. Em sua maioria, no gênero de Ficção Científica, como O Enigma de Andrômeda (69), O Homem Terminal (72), O Grande Roubo do Trem (75), Devoradores de Mortos (76), Congo (80), Esfera (87), Jurassic Park (90), Sol Nascente (92), Revelação (93), Mundo Perdido (95), Twister (96), Linha do Tempo (1999), Presa (02), Estado de Medo (2004) e Next (2006). Crichton dirigiu filmes como Westworld – Onde Ninguém Tem Alma (73), Coma (78), O Primeiro Assalto de Trem (79) e Runaway – Fora de Controle (84) e produziu com Steven Spielberg, a série ER – Plantão Médico (1994-09). Diversos filmes foram adaptados de seus livros como O Enigma de Andrômeda (1971), O Homem Terminal (74), Sol Nascente (1993), Jurassic Park (93), Assedio Sexual (94), Congo (95), Twister (96), Mundo Perdido (97), Esfera (1998), 13 Guerreiro (99) e Linha do Tempo (03). Crichton faleceu em 2008, mas teve dois de seus romances publicados postumamente. Latitude Pirata (09) e Micro (13). O autor venceu diversos prêmios. Entre eles, o Oscar Especial pelo conjunto da obra em 1994;

Neil Gaiman – Mestre dos quadrinhos. Jornalista e escritor britânico, considerado um dos mais criativos e intrigantes de sua geração. Autor de uma das mais aclamadas séries de quadrinhos de todos os tempos, Sandman que mistura mitologia, poesia, cultura pop, mistério, num verniz de literatura adulta.  Inspirado em Monstro do Pântano de Alan Moore, Gaiman começou a escrever quadrinhos, dando continuidade ao trabalho de Moore na revista Miracleman e depois, recriou Orquídia Negra (88), abrindo caminho para realizar outra recriação, Sandman (1989-96), para a DC Comics. Em 1991, Gaiman publicou os quadrinhos Livros da Magia sobre um garoto de óculos, com uma cicatriz na testa e uma coruja branca que se envolve com magia com o nome Tim Hunter. Não estamos falando de Harry Potter que teve o primeiro livro lançado em 97. A Justiça considerou que não houve plágio no processo contra J K Rowling. Gaiman escreveu diversos livros como Belas Maldições (90), Coraline (02), Coisas Frágeis (06), O Oceano no Fim do Caminho (13). Seu elogiado romance Stardust – O Mistério da Estrela, ilustrado por Charles Vess, ganhou as telas em 2007, num filme igualmente destacado. O livro Deuses Americanos (01), foi escolhido pelo canal Starz para ser adaptado, enquanto a HBO prepara a adaptação dos quadrinhos Sandman;

Patrícia Melo – Escritora paulista. Trabalhou na Televisão e no Teatro. Seu primeiro livro foi publicado em 1994, Acqua Toffana. Seu livro, Matador (95), foi adaptado para o cinema em 2003, no filme O Homem do Ano. Seus livros seguintes foram Elogio da Mentira (98), Inferno (00), Valsa Negra (03), Mundo Perdido (06), Jonas, o Compromanta (08), Ladrão de Cadáveres (10), Escrevendo no Escuro (11) e Fogo Fátuo (14). Seus livros foram traduzidos para diversos países, inclusive a Alemanha. Ela conquistou o Prêmio Jabuti de Literatura em 2001 por Inferno, levou ainda o Prêmio Liberatur, da Associação de Promoção da Literatura da África, Ásia e América Latina, durante a Feira Literária de Frankfurt, na Alemanha, em 2013, pelo conjunto da obra;

Paulo Coelho – Jornalista, letrista e escritor carioca. A primeira edição do livro O Alquimista (88) foi um fracasso, a ponto do editor desistir dele. Apesar de Paulo Coelho já ser famoso na época, por escrever canções clássicas para Raul Seixas, Elis Regina e Rita Lee. A história do jovem pastor Santiago que, avisado por sonhos, decide viajar da Espanha ao Egito, em busca de um tesouro enterrado, ainda divide opiniões até hoje. E sofre preconceito, com a obra qualificada como livro de auto-ajuda. A insistência de Coelho levou o livro a vencer resistências. Com o sucesso, Coelho deu seguimento a carreira de escritor lançando O Diário de um Mago (87), Brida (90), As Valkirias (92), Verônica Decide Morrer (98), O Aleph (10). Hoje, Paulo Coelho é tido como um dos mais populares escritores brasileiros no mundo inteiro, desbancando Jorge Amado. Alcançou o título de autor vivo mais traduzido do mundo no Livro dos Recordes. Em 2002, foi eleito para a Academia Brasileira de Letras, num feito nunca alcançado por outros grandes escritores nacionais como Carlos Drummond de Andrade, Vinícius de Moraes e Mário Quintana. O escritor cativou famosos como os ex-presidentes Bill Clinton e Shimon Peres, artistas como Madonna, Sharon Stone, Will Smith, Júlia Roberts, O Alquimista, sua obra mais famosa, foi traduzido para mais de 65 idiomas, alcançou o topo nas listas dos livros mais vendidos em 18 países, se tornando o livro brasileiro mais vendido de todos os tempos. A Universidade de Chicago recomenda o romance em seu currículo de leitura. Desde 2003, Hollywood sonha adaptar O Alquimista para as telas, sem sucesso. Laurence Fishburne (Matrix) chegou a ser contratado para dirigir e atuar como protagonista;

Raphael Draccon – Roteirista de cinema, editor e escritor carioca. Seu primeiro roteiro de longa-metragem, escrito durante o primeiro período de Faculdade de Cinema, o drama sobrenatural In Your Hands (Em Suas Mãos) conquistou o Prêmio de Mérito da Associação Norte Americana de Roteiristas (ASA). Escreveu o primeiro romance, abrindo a série de literatura fantástica: Dragões de Éter (2007), antes de concluir a Faculdade. Aos 25 anos, tornou-se o autor brasileiro mais jovem a assinar com a editora espanhola Planeta do Brasil, permanecendo por seis meses entre seus autores mais vendidos. Dois anos depois, tornou-se parte dos planos de entrada da holding editorial portuguesa Leya no Brasil, hoje a maior em língua portuguesa do mundo. Com a trilogia Dragões de Éter, atingiu a marca dos 200 mil exemplares no Brasil. O box da trilogia alcançou o primeiro lugar do portal de vendas Submarino, onde permaneceu por um ano como o livro mais desejado do site e continua até hoje como o livro nacional mais vendido do portal. Lançou em Portugal, o livro Espíritos de Gelo (2011), depois lançado no Brasil. Por fim, lançou Cemitérios de Dragões (2014). Atualmente, é casado com a igualmente popular escritora Carolina Munhóz. Seu próximo trabalho é a colaboração numa equipe de roteiristas para criarem a série de suspense Supermax para a Rede Globo, com 13 episódios previstos. A equipe, liderada por Marçal Aquino e Fernando Bonassi, reúne, além de Draccon, Juliana Rojas, Bráulio Mantovani, Carolina Kotscho e Raphael Montes;

Stephen King – Escritor norte americano especializado no gênero terror. Na adolescência, King era um fanático leitor dos quadrinhos Contos da Cripta, com histórias do gênero.  Ele escreveu seu primeiro romance, Carrie, a Estranha, mas não gostou do resultado e jogou seus manuscritos no lixo. A esposa dele, Tabitha Spruce, recolheu os rascunhos e o encorajou a continuar o livro que foi lançado em 1974, com grande sucesso. Desde então, ele não parou mais de escrever. O Iluminado (75), A Dança da Morte (77), A Hora da Zona Morta (79), A Incendiária (80), Christine, o Carro Assassino (83), O Cemitério (83), A Hora do Lobisomem (83), A Coisa (86), Conta Comigo (86), Angústia (87), A Metade Negra (89), Jogo Perigoso (92), Eclipse Total (92), À Espera de um Milagre (96), O Apanhador de Sonhos (2001), Sob a Redoma (09), Novembro de 63 (2011). King também escreveu livros sob o pseudônimo de Richard Bachman. A grande maioria dos livros de King foram adaptados para as telas com grande sucesso, mas também teve alguns fiascos. Os melhores filmes baseados nas obras de terror são Carrie, a Estranha (76), O Iluminado (80), A Hora da Zona Morta (83), Cemitério Maldito (89), It (90), Louca Obsessão (90), A Metade Negra (93) e a série de TV, Sob a Redoma (2013). Curiosamente, alguns livros de King de outros gêneros renderam bons ou ótimos filmes como Conta Comigo (86), O Sobrevivente (87), Passageiro do Futuro (96), Um Sonho de Liberdade (94), Eclipse Total (97) e À Espera de um Milagre (99);

Stieg Larsson – A série de livros Millennium, trilogia de suspense, escrita pelo jornalista e escritor sueco Stieg Larsson, foi publicada após a morte do autor em 2004. Durante a adolescência, Larsson presenciou o estupro coletivo de uma jovem chamada Lisbeth que sofreu na mão de conhecidos. Arrependido por não ter feito nada para proteger a garota, Larsson foi visitá-la para pedir perdão, o que não foi aceito. O incidente o atormentou por anos e serviu de base para a trama. Tanto que uma das protagonistas tem o nome Lisbeth. O jornalista criado para a trama, Blomkvist, tem os mesmos interesses profissionais do próprio autor da trilogia. Os três livros da série, Os Homens que Não Amavam as Mulheres (08), A Menina que Brincava com Fogo (09) e A Rainha do Castelo do Ar (09) foram adaptados para as telas 2009 pelo estúdio sueco Yellow Bird, em filmes dirigidos pelo dinamarquês Niels Arden Oplev e estrelados por Michael Nyqvist e Noomi Rapace que chamaram a atenção de Hollywood. O primeiro livro ainda rendeu a adaptação hollywoodiana dirigida por David Fincher, com o James Bond, Daniel Craig e Rooney Mara, no papel da jovem hacker. A repercussão não foi tão positiva e a série ficou apenas no primeiro filme;

Stan Lee – Mestre dos quadrinhos. Roteirista, editor, produtor, apresentador de televisão e ex-presidente da editora norte american Marvel Comics. Um dos mais prolíficos criadores dos quadrinhos, lançou Quarteto Fantástico, Homem Aranha, Hulk, X-Men, Homem de Ferro, Dr. Estranho, Demolidor, Vingadores, Surfista Prateado, etc, etc. Estabeleceu as bases para o chamado Universo Marvel nos quadrinhos e apostou no sucesso de seus personagens no cinema, muito antes de Hollywood acreditar nisso. Sua persistência inicialmente rendeu animações e séries de TV, como Homem Aranha e Incrível Hulk, populares nos anos 70. Mas os grandes estúdios ainda não apostaram na ideia. Lee permitiu a realização de filmes de gosto duvidoso e produções esquecíveis como Capitão América (1979, 80, 90), O Julgamento do Incrível Hulk (89), Justiceiro (89), com Dolph Lundgren, A Morte do Incrível Hulk (1990), Quarteto Fantástico (94), Geração X (96), Nick Fury – Agente da S.H.I.E.L.D. (1998). O relativo sucesso de Blade (98) abriu caminho para X-Men (2000) e Homem Aranha (02) que foram grandes sucessos. Com isso, os personagens da Marvel passaram a ser disputados e os filmes passaram a invadir as telas de cinema com regularidade, a tradicional ponta de Stan Lee e sucessos cada vez maiores como Homem de Ferro (08), Thor (11), Capitão América (11), X-Men – Primeira Classe (11) e Vingadores (12), num ciclo de sequências sem fim. Agora, com a Marvel adquirida pelos Estúdios Disney por bilhões, os filmes se tornaram potenciais de grandes sucessos com projetos garantidos, previstos para os próximos dez anos;

Suzane Collins – Escritora e roteirista norte americana. Collins começou a carreira em 1991 como roteirista de programas infantis do canal Nickelodeon de vários desenhos. Ela recebeu uma indicação do Sindicado de Roteiristas Norte Americanos pelo roteiro de um especial de natal, Santa, Baby, aclamado pela crítica. Seu primeiro romance foi Prova de Fogo (99). Escreveu As Crônicas do Subterrâneo (2003-07), com cinco livros, inspirado no clássico Alice no Pais das Maravilhas. Depois, ela escreveu o livro ilustrado Quando Charlie McButton Perdeu Poderes (05), a trilogia de ficção científica Jogos Vorazes (2008-10) e O Ano da Selva (13). Collins venceu diversos prêmios, entre eles, o Prêmio de Melhor Livro Infantil 2009 da revista Publishers Weekly. O primeiro filme adaptado de Jogos Vorazes foi lançado em 2012. O último livro, A Esperança foi transformado em dois filmes com a parte I, lançado em 2014, e a Parte Final prevista para lançamento em 2015;

Umberto Eco – Escritor, filósofo, semiólogo, linguista e bibliófilo italiano. De intensa atividade acadêmica, foi titular da cadeira de Semiótica e diretor da Escola Superior de Ciências Humanas na Universidade de Bolonha. Ensinou na Universidade de Yale, Colômbia e Harvard, nos Estados Unidos,  Collège de France e Universidade de Toronto. Colunista da revista semanal italiana, L’Espresso. Seus trabalhos acadêmicos são notórios e estudados em diversas faculdades de comunicação como Obra Aberta (62), Apocalípticos e Integrados (64), As Formas do Conteúdo (71) e Tratado Geral de Semiótica (75). Mas foi com o romance histórico de mistério O Nome da Rosa (80) que ele ganhou fama. Seus livros seguintes foram O Pêndulo de Focault (88), A Ilha do Dia Anterior (94), Baudolino (2000), O Cemitério de Praga (11) e O Número Zero (15). O Nome da Rosa foi adaptado com sucesso para as telas em 1986. Curiosamente, Eco também escreveu livros infantis como O Cosmonauta (66), A Bomba e o General (88) e Os Gnomos de Gnu (92);

Will Eisner – Mestre dos quadrinhos. Escritor e desenhista norte americano. Considerado um dos maiores quadrinistas de todos os tempos. Revolucionou a linguagem dos quadrinhos tanto em roteiros como nos desenhos. Inspirou a maioria dos grandes artistas posteriores e estabeleceu as bases para tornar os quadrinhos reconhecidos como expressão artística. O nome do maior prêmio de quadrinhos dos Estados Unidos é o Eisner Awards, criado em 1988, em sua homenagem. Eisner começou nos quadrinhos em 1936 ao integrar a equipe da revista Wow, What A Magazine, que contava com Bob Kane (criador de Batman) e Jack Kirby (um dos criadores de Capitão América, com Joe Simon, e do Universo Marvel, com Stan Lee). Ele participou de várias revistas e tiras de jornal. Em 1940, criou seu personagem mais memorável, The Spirit, o detetive mascarado, Denny Colt, sem superpoderes, que protege os habitantes de Central City. Eisner contribuiu para expandir as possibilidades da expressão artística com os quadrinhos ao longo dos anos e apresentou uma proposta mais ousada em Um Contrato com Deus (A Contract With God, 1978), quando criou o termo Graphic Novel (ou Romance Gráfico). Desde então lançou diversos trabalhos notáveis como Um Sinal do Espaço (83), O Edíficio (87), Ao Coração da Tempestade (91), A Princesa e o Sapo (96), Nova Iorque – A Grande Cidade (2000), O Nome do Jogo (03) e sua última obra, A Conspiração – A História Secreta dos Protocolos dos Sábios de Sião (05). Eisner sempre gostou do Brasil. Tanto, que visitou o pais sete vezes, mas nunca morou aqui por sua dificuldade em aprender a falar português. Duas obras de Eisner são fundamentais para aprender seu ofício, Os Quadrinhos e a Arte Sequencial (Comics and Sequential Art, 85) e A Narrativa Gráfica (Graphic Storytelling, 86). O Senac produziu um documentário no Brasil, sobre o grande mestre dos quadrinhos intitulado, Will Eisner – Profissão Cartunista (1999). Will Eisner faleceu em 2005.

Anúncios

Publicado em 25 de julho de 2015, em Caracteres e marcado como , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Republicou isso em Livros do Coraçãoe comentado:
    Um super Post do nosso parceiro Maracutaia Livros!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Suki na Ongaku

Blog com letras de minhas músicas japonesas preferidas

Roberto Luiz Ribeiro

Poesia alternativa-marginal-independente e gratuita

A Taverna

Histórias fantásticas e Dicas de Escrita!

Don Silvio

Comentando

Priscila.T.Therese Official

"we are lifelong learners " Nós somos eternos aprendizes "

enjuadinha

Momentos da vida

Livros do Coração

Resenhas de livros, filmes, teatro e cultura em geral

felicisses.wordpress.com/

Compartilhando coisas legais!

Entre nos Mundos

Compartilhando as minhas visitas em outros mundos.

Just One More

Café, Livros, Estudos e Mundo

Uma borboleta leitora

Como borboletas, voamos pelas páginas dos livros...

Liberte-se.

Meu nome é Hellen, tenho 18 anos e aqui escrevo sobre coisas que me interessam.

Emilly Vass

Blog Literário

Literatura Doccar

Blog Literário

Auê Cultural

A casa de todos, de todas as tribos

Vendas Digitais

Curta, compartilhe e deixe seu e-mail

Contos Noturnos

Contos da amante noturna

%d blogueiros gostam disto: