Força Maior, de Ruben Östlund

Palavras de Cinema

A neve da avalanche deixa a tela completamente branca. O “não ver”, em Força Maior, dá-se pelo branco absoluto, não pela escuridão. E esse branco, aos poucos, dá vez às pessoas, em um universo verdadeiro de instinto e revelação.

Pois, com a avalanche, o marido não pensa em outra coisa senão salvar a própria pele: a mulher e os dois filhos pequenos são deixados para trás, à neve, e ele corre para viver.

força maior

Em Força Maior, sua atitude é, ao mesmo tempo, a abertura ao drama e à comédia: drama a partir da desconstrução da família perfeita; comédia a partir das situações que fazem retornar ao lamentável episódio da fuga do pai, também aos momentos em que ele busca se justificar.

Nessa indefinição de gênero, o filme joga à perfeição com o humano por trás de sua suposta felicidade, bravura, de seu sentimento de coletividade.

O humano em…

Ver o post original 402 mais palavras

Anúncios

Publicado em 7 de março de 2015, em Caracteres. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Vendas Digitais

Curta, compartilhe e deixe seu e-mail

Contos Noturnos

Contos da amante noturna

Ste

Aqui você vai encontrar sobre um pouco de tudo, principalmente livros. Conte com nossa sincera opinião sobre os livros, as séries e os filmes resenhados e citados.

Pão de Canela e Prosa

Onde as palavras têm sabor

marisbookshop

pensamentos de uma jovem.

Cara de Cotia

Meio divertida, por vezes filosófica, sempre confusa!

Meuus Fatos

literatura, resenhas , textos escritos por mim é indicações de livros.

Reclusidades Diárias

Esses são os meus olhos e com eles eu vejo o mundo. Quer ver comigo?

Eu, nós dois e todo mundo

Sobre amor e falta dele, otimismo, utopia e desconforto. Uma caricatura de pós-moderno em um mundo todo louco.

TraduQ

ideias e escritos traduzindo-nos

Desajustado

As (des)vantagens de ser!

%d blogueiros gostam disto: